Nossa Missão no Brasil

Por uma igreja pobre, missionária e pascal

Comprometida com a libertação do homem todo e de todos os homens
(Documento de Medellín, Juventude, 15a)

ÍCONES E ESPIRITUALIDE DO SEMINÁRIO DE LARANJEIRAS

  • Crispin Luhinzo Mugalihya
0
0
0
s2smodern
0
0
0
s2smodern
powered by social2s

Os espaços do seminário são uma profunda e verdadeira catequese. Quem tem fé, não olha superficialmente os ícones mas busca entender e compreender o mistério que neles se escondem. Por que nesse espaço do seminário encontram-se imagens e tantas belezas naturais? Busquemos a resposta à luz da catequese dos símbolos e espiritualidade missionária. Sabemos que cada símbolo representa, identifica e conecta a certa realidade.

  • Ícone de Nossa Senhora das graças: Situado na entrada do pátio do seminário. É o ícone que representa a espiritualidade mariana. Maria é modelo de santidade, “Mãe dos discípulos Missionários”, Mãe de Jesus Cristo “Eterno Sacerdote”, “Estrela da Evangelização”. Maria soube ouvir e viver plenamente a Palavra de Deus. Maria é portadora de Deus. Quem passar pelo seminário deve contemplar e pedir a graça de ser como Maria, Mãe de “grande sim”. Nosso “sim” é frágil, portanto, ele precisa contemplar o sim de Maria para se tornar forte e perseverante. Para nós Xaverianos, Maria tem título especial: “Nossa Senhora da Estrada”. Por que? É Ela que nos acompanha pelas estradas da vida, nós horizontes da missão Além-fronteiras. “Nós somos caminheiros”, “Peregrinos neste mundo”, como responsabilidade de levar a Palavra de Deus a exemplo de Maria. O nosso peregrinar espiritual terá fim com a nossa chegada na morada eterna do Pai celestial. “Santa Maria Mãe de Deus, rogai por nós pobres pecadores, agora e na hora de nossa morte”.
  • O Crucifixo: “Assim que se ama”, escreveu Santo Afonso de Ligori, ao pé do Crucifixo. Doando a vida pelos irmãos, é o testemunho mais forte que pode existir neste mundo. Isso que Jesus fez. Contemplando o Crucifixo, aprendamos a amar até o fim. Mas, qual tipo de amor? Amor “gratuito”. Esgotamento de si, despojamento de toda falsidade. “Crucifixo é a personificação sublime de uma vida ideal...” (cf. dos ensinamentos de São Guido). A missão nasce e cresce aos pés da cruz, dizia Comboni; completa Conforti: o Crucificado é o grande “Livro e Mestre”. Jesus recorda que a cruz é a condição do discipulado: “Quem quiser me seguir, pegue a sua cruz.” Cruz e compromisso são fonte de alegria. Não há missão sem cruz. Não há vida cristã verdadeira sem cruz. Missão, cruz e missionário formam um trio inseparável, como a vida de Jesus. Não há outro caminho possível a percorrer. A constância e a paciência são os frutos de uma cruz assumida com alegria
  • Água (Poço artesiano): Recordação do encontro de Jesus com a Samaritana. Sede da água que leva a sede de salvar. Água que jorra do poço traz a vida em plenitude. Jesus se apresentou como sedento. Mas, no fundo, era a mulher quem precisava da água viva. Água é sinal de vida que sacia a humanidade. Qual tipo de vida nós temos? Essa vida aponta a qual tipo de futuro? Quem realmente somos nós? Como a mulher Samaritana precisamos cultivar em nós a sede da santidade, a sede da salvação, a sede da água que jorra eternamente. “Deixou o cântaro e foi anunciar a Boa nova!”  Precisamos fazer esse passo de lançar o cântaro (mudar de atitude, de opinião, de desejo, de interesse, etc.)  para abraçar o ideal missionário; “ser Igreja em saída” conforme nos pede o Papa Francisco.
  • Árvore –Pinheiro: Essa arvore nos surpreende pela sua grandeza, pela sua firmeza e sua altura. Ela é resistente a qualquer tipo de tempestade. É um verdadeiro auxilio para os passarinhos onde fazem “ninhos”, criam filhotes, embelezam a natureza. Faz sombra para proteger os humanos do raio do sol. É um refúgio seguro durante o “calor forte” do verão. A folhagem cai de vez enquanto, algumas folhas são levadas pelo vento, outras ficam em ao pé da árvore. Se transformem em adubo para revigorar as raízes. Aprendamos dessa árvore muitas coisas:

- a firmeza: diante das tentações desse mundo: precisamos ter firmeza de coração para não cair. Existem tentações dentro de nós e em volta de nós. Ou seja, muitas vezes colocamos os outros em tentação e outras vezes, os outros que nos colocam em tentação. A firmeza nos ajuda a nos posicionar diante dos sonhos que nós gostam, o sonho de Deus. A firmeza é a atitude de quem não desiste diante da dificuldade.

-a nobreza: dignidade, responsabilidade, integridade, ponderação, “longe de toda superficialidade” e mentira, etc. Nobreza é a atitude de quem sabe conquistar os corações através do caráter. É a atitude de quem cativa e ilumina a vida dos outros pelos bons exemplos.

- a perseverança: a folha que embora fraca, porque caiu da árvore, não de se destrói, se transforma em fonte regeneradora, em esterco.

- a altura: direção ao sol e ao céu. Onde nós estamos direcionando a nossa vida? Qual rumo nós estamos tomando? Estamos buscando as realidades do alto, onde Deus se encontra?

  • Campo de lazer (Futebol e vôlei de areia): nos lembra aquele velho ditado: “Mens sana in corpore sano” ou seja_ “Mente sadia num corpo sadio”.

Mente sadia é diferente da mente poluída e doentia. Mente sadia é voltada às coisas de Deus: oração, missa, confissão, visitas aos doentes, missão, etc. Mente poluída é praticamente mundana. Busca apena a satisfação própria de forma egoísta. “Corpore sano” = Corpo sadio, físico forte, saudável através de alimentação, exercício físico (academia), esporte, lazer, etc. Uma das tentações da juventude hoje é ter o tempo para muitas coisas e faltar tempo para cuidar de si mesmo, de sua própria saúde. Existem momentos em que nós nos alimentamos errado (só para encher a barriga). Devemos também procurar ter a alimentação saudável. Alimentação tem impacto forte sobre a nossa saúde, sobre o nosso crescimento, sobre a nossa vida. Mais estamos saudáveis, mais temos condições para trabalhar e ajudar os outros. Casos contrário, ficamos parados, num caminho sem saída.

  • Flores e plantas: são como os humanos. Elas são sinais da beleza da natureza. Elas são fontes de perfumes, bálsamo do amor, do perdão, paz e alegria. As plantas floridas nos dão força e vigor, esperança e alegria de viver. Elas são plantadas e colhidas com as mãos do trabalhador. Cada um de nós é uma flor que deve espalhar o bom perfume de Jesus Cristo. Devemos cuidar a natureza da melhor forma possível por que é nela que tiramos o sustento para a nossa vida e nossa saúde.

Missionários Xaverianos no Brasil
Copyright ©2018