Educar o coração, São Guido Conforti

  • Rolando Ruiz Duran
  • Artigos
0
0
0
s2smodern
0
0
0
s2smodern
powered by social2s

A celebração xaveriana do dia 05 de novembro, que faz memória de São Guido Maria Conforti, fundador dos Missionários Xaverianos, nos leva a seus escritos, em particular, a um texto inspirador para fazer o nosso processo de conversão a que todos estamos chamados. O número 7 do Capítulo Geral XVII dos Missionários Xaverianos, realizada há pouco mais de um ano, diz: "as repetidas interpelações do Papa Francis sobre a missão e a missionariedade, nos convidam a colaborar com um processo de "metanoia eclesial" (cf. RMi 49), por outro lado, nos convidam-nos a admitir que nós também como toda a Igreja, precisamos de uma profunda conversão. Na verdade, devemos reconhecer que não estamos em uma posição de vanguarda, mas estamos sendo desafiados pelo magistério papal a reexaminar nossa visão, a nossa maneira de ser, nossa espiritualidade e nossos projetos. Nós, portanto, precisam de "uma forte sacudida para impedir-nos contentar em conforto, a estagnação e calor, em termos de um determinado processo de discernimento, purificação e reforma (EG, 30)".

O texto sublinha a necessidade que temos de uma "profunda conversão", embora se refira à nossa missão, tem suas raízes no coração de cada um. Quando São Guido fala de conversão, ele fala imediatamente do coração. É um dos eixos de sua espiritualidade interior que convida a educar o coração.s.guifo

"A vida em si não é conhecida se o coração não é conhecido, não um mestre de si mesmo é se ele não domina seu próprio coração, porque a vida vai onde o coração a conduz. Os maiores problemas que a humanidade se depara como problemas são do coração, porque os outros não nos trazem tantas tempestades e não são motivo de tantas angustias. Da mesma forma, na minha vida privada, os problemas mais sérios são aqueles que surgem em meu coração, e me encontro em paz quando meu coração está livre, estou feliz quando meu coração está bom; as grandes amarguras da vida provem das feridas e desvios do coração. Mas no coração há dois aspectos distintos a serem considerados, porque às vezes é uma fonte de bem incomparável, e outros é um criador detestável do mal. Nada existe maior e mais belo que as obras do coração, quando está bom; não há nada mais baixo e desonroso do que os caprichos do coração quando se vive mal. E alimentar sua chama beneficia; mas não pode se converter em um agente terrível agente do mal, é necessário sustentá-lo com um pulso firme e vigilante, com medo de perdê-lo. Os movimentos espontâneos de um bom coração são: compaixão, bondade, dedicação e amizade "(São Guido Maria Conforti, 1.917-1.925, luzes escritos e inspirações escritas durante os retiros e exercícios FCT 20, 185-186).

Educar o coração é, portanto, um convite de São Guido, oportuno quando se trata de conversão. Além disso, sabemos que isso também não depende de nós, o desejo, mas o que depende de nós é aceitar esse chamado de Deus à conversão e à docilidade para nos deixar fazer. O que nem sempre é fácil e necessário para nossa felicidade. Um coração missionário que deseja anunciar Cristo àqueles que ainda não tiveram a graça de encontrá-lo, educa seu coração.

São Guido Maria Conforti, padre de missionários, rogai por nós!

Rolando Ruiz Durán sx

Missionários Xaverianos no Brasil
Copyright ©2018