Gravidez divina

Domingo, 23 Dezembro 2018

Tempo do Advento

Lc 1,39-45

Em escuta do espírito

Vinde Espírito de Deus e, nesta reta final em preparação ao Natal, faz de mim manjedoura acolhedora e aconchegante ao menino Jesus

Em escuta da Palavra

Naqueles dias, Maria partiu para a região montanhosa, dirigindo-se, apressadamente, a uma cidade da Judeia. Entrou na casa de Zacarias e cumprimentou Isabel. Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança pulou no seu ventre e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. Com um grande grito, exclamou: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre! Como posso merecer que a mãe do meu Senhor me venha visitar? Logo que a tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança pulou de alegria no meu ventre. Bem-aventurada aquela que acreditou, porque será cumprido o que o Senhor lhe prometeu”.

Comentário

As figuras femininas, no Evangelho de hoje, nos ensinam que, para quem está "grávido" de Deus - como Maria e Isabel - uma simples saudação pode ser ocasião de gerá-lo e manifestá-lo presente no mundo. Em Maria e Isabel, uma simples visita se transforma em Sacramento divino de vida e salvação. Não precisou de palavras mágicas ou ritos formais para Maria encher a vida de sua prima com a presença do Espírito, bastou um "oi" de cumprimento fraterno e, o Deus feito carne em Maria, provocou alegria, exultação e dança na vida de Isabel e de seu filho. Para quem traz Deus dentro, qualquer ocasião permite de exalar, nas franjas do humano, um divino perfume.

Jovens da paróquia São Paulo (Piracicaba)

Vídeo e áudio