Evangelho Diário

Sexta, 08 Novembro 2019

Tempo Comum

Lc 16, 1-8

Em escuta do espírito

“Confia no Senhor, sê forte. Tem coragem e confia no Senhor”. Este apelo do salmista pode ser uma ajuda excelente para estes minutos de oração. Rezar exige confiança: se não confias em Deus, na sua presença e no seu amor, não podes rezar. Rezar exige também fortaleza interior: a fortaleza de quem não desiste, mesmo quando experimenta o fracasso aparente de uma oração feita sem alegria, na solidão de quem não pressente Deus em lado nenhum. “Tem coragem e confia no Senhor”... e começa assim a tua oração.

Em escuta da Palavra

Jesus disse aos seus discípulos: «Um homem rico tinha um administrador que foi denunciado por andar a desperdiçar os seus bens. Mandou chamá-lo e disse-lhe: ‘Que é isto que ouço dizer de ti? Presta contas da tua administração, porque já não podes continuar a administrar’. O administrador disse consigo: ‘Que hei de fazer, agora que o meu senhor me vai tirar a administração? Para cavar não tenho forças, de mendigar tenho vergonha. Já sei o que hei de fazer, para que, ao ser despedido da administração, alguém me receba em sua casa’. Mandou chamar um por um os devedores do seu senhor e disse ao primeiro: ‘Quanto deves ao meu senhor?’. Ele respondeu: ‘Cem talhas de azeite’. O administrador disse-lhe: ‘Toma a tua conta: senta-te depressa e escreve cinquenta’. A seguir disse a outro: ‘E tu quanto deves?’ Ele respondeu: ‘Cem medidas de trigo’. Disse-lhe o administrador: ‘Toma a tua conta e escreve oitenta’. E o senhor elogiou o administrador desonesto, por ter procedido com esperteza. De facto, os filhos deste mundo são mais espertos do que os filhos da luz, no trato com os seus semelhantes».

Comentário

A parábola que acabaste de escutar tem uma conclusão desconcertante. À primeira vista, parece que Jesus elogia e apresenta como modelo a corrupção e a falta de honradez. Não! O que Jesus diz é que os filhos da luz devem usar da argúcia, astúcia e sagacidade do administrador infiel e colocá-las ao serviço do bem. O administrador infiel acabou por compreender que o único modo de salvar a vida não é reter para si, mas dar. Como te relacionas com os bens com que Deus te presenteou? As riquezas, o poder, não são questões de conta bancária, do muito dinheiro, mas de atitude. Mesmo com pouco podes ter uma relação desordenada com os bens. És um mero administrador dos dons que Deus te deu. Pede humildemente ao Senhor que te ajude a pôr os teus dons a render como Ele quer.

Juventude Missionária Xaveriana

Vídeo e áudio