Irmão gêmeo

Domingo, 28 Abril 2019

Tempo Pascal

Jo 20,19-31

Em escuta do espírito

Com o segundo domingo do tempo pascal encerra-se a oitava da Páscoa: o “grande dia pascal” chega ao fim. O Papa João Paulo II quis que este domingo fosse celebrado como o domingo da Divina Misericórdia. Misericórdia significa o coração – o amor – que se debruça sobre a miséria, para a elevar e salvar. A misericórdia está, por isso, intimamente associada ao mistério pascal, mais ainda, é a fonte de onde brota este mistério. Olha para a tua miséria, para o teu pecado... e lembra-te que Deus te olhou primeiro. Agradece e começa assim a tua oração: vinde, Espírito de Jesus ressuscitado!

Em escuta da Palavra

Ao anoitecer daquele dia, o primeiro da semana, estando fechadas, por medo dos judeus, as portas do lugar onde os discípulos se encontravam, Jesus entrou e, pondo-se no meio deles, disse: “A paz esteja convosco”. Depois dessas palavras, mostrou-lhes as mãos e o lado. Então os discípulos se alegraram por verem o Senhor. Novamente, Jesus disse: “A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou, também eu vos envio”. E, depois de ter dito isso, soprou sobre eles e disse: “Recebei o Espírito Santo. A quem perdoardes os pecados, eles lhes serão perdoados; a quem os não perdoardes, eles lhes serão retidos”. Tomé, chamado Dídimo, que era um dos doze, não estava com eles quando Jesus veio. Os outros discípulos contaram-lhe depois: “Vimos o Senhor! Mas Tomé disse-lhes: “Se eu não vir a marca dos pregos em suas mãos, se eu não puser o dedo nas marcas dos pregos e não puser a mão no seu lado, não acreditarei”. Oito dias depois, encontravam-se os discípulos novamente reunidos em casa, e Tomé estava com eles. Estando fechadas as portas, Jesus entrou, pôs-se no meio deles e disse: “A paz esteja convosco”. Depois disse a Tomé: “Põe o teu dedo aqui e olha as minhas mãos. Estende a tua mão e coloca-a no meu lado. E não sejas incrédulo, mas fiel”. Tomé respondeu: “Meu Senhor e meu Deus!”Jesus lhe disse: “Acreditaste, porque me viste? Bem-aventurados os que creram sem terem visto!” Jesus realizou muitos outros sinais diante dos discípulos, que não estão escritos neste livro. Mas estes foram escritos para que acrediteis que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais a vida em seu nome.

Comentário

Jesus veio em meio a portas fechadas. Há um ar de medo naquela casa, medo dos judeus, mas acima de tudo medo de si mesmos, de como eles abandonaram o Mestre, o traíram, o negaram tão rapidamente.
No entanto, Jesus vem. O abandonado no meio daqueles que só sabem abandonar, o traído se coloca de volta nas mãos daqueles que o traíram. «Jesus veio e virou-se para Tomé» No pequeno rebanho, ele procura aquele que duvida: «Coloque o dedo aqui, estende a mão, toque!». Aqui está Jesus: ele não está escandalizado por todas as minhas dúvidas, ele não está impressionado com o meu esforço para acreditar, ele não reivindica minha plena fé, mas ele se aproxima de mim. Este gesto é suficiente para Tomé, cujo apelido é Dídimo, ou seja, irmão gêmeo - meu irmão. Quem chega perto, estende as mãos, não te julga, mas te encoraja: ele é Jesus, você não pode errar! Sendo assim, só nos resta exclamar: meu Senhor e me Deus!

Missionários Xaverianos

Vídeo e áudio