Pesca amorosa

Sexta, 26 Abril 2019

Tempo Pascal

Jo 21,1-14

Em escuta do espírito

O sepulcro está vazio e Jesus aparece aos seus discípulos quando eles menos esperam. A sua vida é bem real, embora já não seja deste mundo. Os discípulos tentam encontrar outras explicações, mas Jesus está ali, diante deles: é Ele, embora diferente, mais vivo do que nunca. Deixa-te tocar por esta presença, por mais surpreendente que seja. Deixa que a ressurreição de Jesus mexa contigo. Procura sinais de Jesus ressuscitado na tua vida e na vida dos que te são mais próximos. E começa assim a tua oração: Vinde, Espírito do Ressuscitado!

Em escuta da Palavra

Naquele tempo, Jesus apareceu de novo aos discípulos, à beira do mar de Tiberíades. A aparição foi assim: Estavam juntos Simão Pedro, Tomé, chamado Dídimo, Natanael de Caná da Galileia, os filhos de Zebedeu e outros dois discípulos de Jesus. Simão Pedro disse a eles: “Eu vou pescar”. Eles disseram: “Também vamos contigo”. Saíram e entraram na barca, mas não pescaram nada naquela noite. Já tinha amanhecido, e Jesus estava de pé na margem. Mas os discípulos não sabiam que era Jesus. Então Jesus disse: “Moços, tendes alguma coisa para comer?” Responderam: “Não”. Jesus disse-lhes: “Lançai a rede à direita da barca, e achareis”. Lançaram pois a rede e não conseguiam puxá-la para fora, por causa da quantidade de peixes. Então, o discípulo a quem Jesus amava disse a Pedro: “É o Senhor!” Simão Pedro, ouvindo dizer que era o Senhor, vestiu sua roupa, pois estava nu, e atirou-se ao mar. Os outros discípulos vieram com a barca, arrastando a rede com os peixes. Na verdade, não estavam longe da terra, mas somente a cerca de cem metros. Logo que pisaram a terra, viram brasas acesas, com peixe em cima, e pão. Jesus disse-lhes: “Trazei alguns dos peixes que apanhastes”. Então Simão Pedro subiu ao barco e arrastou a rede para a terra. Estava cheia de cento e cinquenta e três grandes peixes; e, apesar de tantos peixes, a rede não se rompeu. Jesus disse-lhes: “Vinde comer”. Nenhum dos discípulos se atrevia a perguntar quem era ele, pois sabiam que era o Senhor. Jesus aproximou-se, tomou o pão e distribuiu-o por eles. E fez a mesma coisa com o peixe. Esta foi a terceira vez que Jesus, ressuscitado dos mortos, apareceu aos discípulos.

Comentário

Jesus não pergunta a Simão: Pedro, você entendeu minha mensagem? Está claro o que eu fiz? O que você tem para anunciar aos outros? Suas palavras derrubam expectativas: ´deixo tudo para o verbo amar, não para doutrinas, não para sistemas de pensamento, nem mesmo para projetos de outro tipo. Meu projeto, minha mensagem,´ nos diz Jesus, ´é amor.´ Jesus, Mestre da humanidade, usa a linguagem simples da afeição, perguntas ressoando na terra inúmeras vezes, sob todos os céus, na boca de todos os amantes que nunca se cansam de perguntar e saber: Você me ama? Simplificação prodigiosa: a mesma lei que governa a vida e o evangelho, o coração e o céu é o amor, e um amor carregado de vida e ressurreição.

Missionários Xaverianos

Vídeo e áudio