Loucura de amor

Segunda, 15 Abril 2019

Tempo da Quaresma

Jo 12,1-11

Em escuta do espírito

Na Semana Santa é mais fácil acompanhar Jesus descobrindo n'Ele Aquele que vem para servir. É extraordinário: o Deus infinito faz-Se homem para servir as suas criaturas e fá-lo da forma mais humilde possível: humilhado, ofendido, perseguido. Procura viver esta Semana Santa tendo presente a infinita humildade de Deus, em Jesus Cristo. Pede ao Senhor a graça de começares a entender este mistério... E começa assim a tua oração: Vinde, Santo Espírito!

Em escuta da Palavra

Seis dias antes da Páscoa, Jesus foi a Betânia, onde morava Lázaro, que ele havia ressuscitado dos mortos. Ali ofereceram a Jesus um jantar; Marta servia e Lázaro era um dos que estavam à mesa com ele. Maria, tomando quase meio litro de perfume de nardo puro e muito caro, ungiu os pés de Jesus e enxugou-os com seus cabelos. A casa inteira ficou cheia do perfume do bálsamo. Então, falou Judas Iscariotes, um dos seus discípulos, aquele que o havia de entregar: “Por que não se vendeu este perfume por trezentas moedas de prata, para dá-las aos pobres?” Judas falou assim, não porque se preocupasse com os pobres, mas porque era ladrão; ele tomava conta da bolsa comum e roubava o que se depositava nela. Jesus, porém, disse: “Deixa-a; ela fez isto em vista do dia de minha sepultura. Pobres, sempre os tereis convosco, enquanto a mim, nem sempre me tereis”. Muitos judeus, tendo sabido que Jesus estava em Betânia, foram para lá, não só por causa de Jesus, mas também para verem Lázaro, que Jesus ressuscitara dos mortos. Então, os sumos sacerdotes decidiram matar também Lázaro, porque, por causa dele, muitos deixavam os judeus e acreditavam em Jesus.

Comentário

Hoje, apenas iniciando a Semana Maior, o Evangelho fala de Maria tomando os pés de Jesus em suas mãos durante um jantar em uma casa de amigos. Daqui quatro dias o Evangelho contará sobre Jesus que, em outra ceia, repetirá esse gesto: tomará os pés dos discípulos em suas mãos, como se tivesse aprendido os gestos de amor de uma mulher. Uma mulher e Deus se encontram, e isso acontece nos gestos inventados pelo amor. O homem e Deus, nas expressões de amor, falam a mesma língua. Uma carícia como agradecimento aos pés de Deus que não veio com asas de anjos, mas com pés de homem para conhecer e se misturar com a dureza do caminhar. E o caminho mais difícil é a morte. Maria, sabe oferecer algo à Aquele que tudo oferece; sabe amar o amado. Ela abraça os pés para dizer: Onde você vai, eu vou também; onde você parar, eu vou parar também; Vou colocar meus passos nos passos dos seus passos! Para sempre, eu irei te acompanhar.

Missionários Xaverianos

Vídeo e áudio