Warning: getimagesize(/home/storage/8/fa/ea/xaverianos/public_html/images/foto/FranciscoAudencia.jpg): failed to open stream: No such file or directory in /home/storage/8/fa/ea/xaverianos/public_html/plugins/content/social2s/social2s.php on line 1632

Warning: getimagesize(/home/storage/8/fa/ea/xaverianos/public_html/images/foto/FranciscoAudencia.jpg): failed to open stream: No such file or directory in /home/storage/8/fa/ea/xaverianos/public_html/plugins/content/social2s/social2s.php on line 1632

Warning: getimagesize(/home/storage/8/fa/ea/xaverianos/public_html/images/foto/FranciscoAudencia.jpg): failed to open stream: No such file or directory in /home/storage/8/fa/ea/xaverianos/public_html/plugins/content/social2s/social2s.php on line 1632

Warning: getimagesize(/home/storage/8/fa/ea/xaverianos/public_html/images/foto/FranciscoAudencia.jpg): failed to open stream: No such file or directory in /home/storage/8/fa/ea/xaverianos/public_html/plugins/content/social2s/social2s.php on line 1632

"Não escravos e sim irmãos": Papa Francisco na mensagem para Jornada da Paz 2015

0
0
0
s2smodern
0
0
0
s2smodern
powered by social2s

Em mensagem para a 48ª Jornada Mundial da Paz de 2015, sob o título "Não escravos e sim irmãos”, Papa Francisco declara que, sendo o homem um ser relacional, é essencial que, para o seu desenvolvimento, se reconheça e se respeite sua dignidade, liberdade e autonomia.

Para ele, a exploração do homem pelo homem é um fenômeno abominável, que aniquila, de múltiplas formas, os direitos fundamentais e suscita uma profunda reflexão à luz da Palavra de Deus, para que consideremos que todos os homens não são escravos e sim irmãos.

Na declaração, o Papa reforça que, como irmãos e irmãs, todas as pessoas estão relacionadas pela fraternidade. E, mesmo com a escravidão oficialmente abolida do mundo e a comunidade internacional adotando diversas estratégias para combater o fenômeno, ainda há milhões de pessoas (crianças, homens e mulheres de todas as idades) privadas de sua liberdade e obrigadas a viverem em condições similares à escravidão.

Como raiz do problema, Francisco destaca, principalmente, a concepção da pessoa humana como objeto.

E cita ainda outras causas, como a pobreza, o subdesenvolvimento, a exclusão, a corrupção, os conflitos armados, a violência, o crime e o terrorismo. Esses fatores combinados à falta de educação e realidade escassa de trabalho colaboram para o agravamento das situações de escravidão, a exemplo da condição de vida de muitos emigrantes.

O Papa convoca para o compromisso comum para vencer a escravidão.

Os Estados devem vigiar para que a legislação nacional relacionada à migração, ao trabalho, às adoções, respeite a dignidade humana. As empresas devem também garantir condições de trabalho e salários dignos. As organizações da sociedade civil precisam sensibilizar e estimular a consciência e medidas de combate e erradicação da escravidão.

A escravidão, como fenômeno mundial, é um flagelo contemporâneo que ultrapassa a competência de um só país. É necessário, então, unir esforços, "globalizar a fraternidade e não a escravidão nem a indiferença”. Nessa perspectiva, o Papa encerra sua declaração fazendo um chamamento urgente para que todos assumam a responsabilidade de realizar gestos de fraternidade para aqueles que se encontram em estado de sofrimento.

"A globalização da indiferença, que agora afeta a vida de tantos irmãos e irmãs, nos pede que sejamos artífices de uma globalização da solidariedade e da fraternidade, que lhes dê esperança e os faça retomar, com coragem, o caminho, através dos problemas do nosso tempo e as novas perspectivas que traz consigo, e que Deus coloca em nossas mãos.”, disse Francisco.

Jornada Mundial da Paz

A Jornada Mundial da Paz, celebrada no primeiro dia de cada ano, foi instituída em 1968, pelo Papa Paulo VI. Para a 48ª Jornada, que será realizada dia 1º de janeiro de 2015, o tema escolhido foi "Já nunca mais escravos, sim irmãos”, pela grave situação de escravidão enfrentada em todo o mundo. São diretrizes enviadas pelo Vaticano.


Fonte: adital.com.br