O 14º Intereclesial no Ano do Laicato

  • Dom Frei Severino Clasen
  • Artigos
0
0
0
s2smodern
0
0
0
s2smodern
powered by social2s

“Sal da terra e luz do mundo”

As inúmeras investidas do Papa Francisco para uma Igreja missionária e valorizando os batizados, trouxe reflexões exaltando a importância dos leigos e leigas na Igreja e na sociedade.

É rica e bela a Igreja de Jesus Cristo que acolhe, cuida e protege seus filhos, que pela graça do Batismo, são sujeitos ativos nesse corpo místico, onde Jesus Cristo é a cabeça. O sentimento filial, nos convoca ao redor do Mestre Jesus que nos chama para ser sal na terra e luz no mundo (Mt 5,13-14).

É preciso que, as pessoas de boa vontade, estejam envolvidas em torno da fé que convoca e encoraja para ser discípulo missionário de Jesus Cristo, na Igreja e na sociedade.

Assim, a Igreja em todo o Brasil, encaminhada pela Comissão Episcopal de Pastoral para o Laicato, acolheu o desejo dos cristãos leigos e leigas, a programar o Ano do Laicato para 2018. Motivados com os 30 anos do Sínodo Ordinário sobre os Leigos (1987), da Exortação Apostólica Christifideles Laici, de São João Paulo II, sobre a vocação e missão dos leigos na Igreja e no mundo (1988), terá como eixo central a presença e a atuação dos cristãos leigos e leigas como “ramos, sal, luz e fermento” na Igreja e na sociedade (Doc. 105, n.274, i).

O objetivo do Ano do Laicato é este: Como Igreja, Povo de Deus, celebrar a presença e a organização dos cristãos leigos e leigas no Brasil; aprofundar a sua identidade, vocação, espiritualidade e missão; e testemunhar Jesus Cristo e seu Reino na sociedade.

Como legado propomos um ano de intensa mobilização de toda a sociedade, pois na sua maioria absoluta são os leigos e leigas, seguidores de Jesus Cristo. O sentido do Ano do Laicato deve despertar discípulos missionários para evangelizar os ambientes onde as pessoas vivem, trabalham, estudam, convivem e se desenvolvem. Na Encíclica Redemptoris Missio, São João Paulo II identifica alguns desafios prioritários à missão evangelizadora da Igreja no mundo contemporâneo. Ele os chama de “modernos areópagos”. Lembra que o Apóstolo Paulo, depois de ter pregado em numerosos lugares, chega a Atenas e vai ao areópago, onde anuncia o Evangelho, usando uma linguagem adaptada e compreensível para aquele ambiente (At 17,22-31). O areópago, que representava o centro da cultura do povo ateniense, é tomado como símbolo dos novos ambientes onde o Evangelho deve ser proclamado (Doc.105, n. 250).

cebs 2018 2O 14º Intereclesial das CEBs, quer ser um marco significativo no Ano do Laicato. É a Igreja da base, a Igreja pé no chão, é a Igreja que acolhe todas as pessoas de boa vontade, por isso é da base. Essa gente linda deve comemorar, celebrar, festejar, afinal é o Ano dos milhões de cristãos leigos e leigas.

É nas CEBs, nos grupos de reflexão, nos grupos de família que aprendemos a ser Igreja que lê a Palavra de Deus, que estuda os documentos da Igreja, que celebra os sacramentos e que em oração sincera eleva as súplicas ao Pai, fomentando a esperança e confiança em Deus.

A esperança deve trazer novo vigor e alegria entre os cristãos leigos e leigas a ser Igreja da base, as CEBs.

Descobrir que ser cristão é seguir Jesus Cristo de fato e de verdade, essa sempre foi a tônica das CEBs. Deixar-se apaixonar por Ele, ser discípulo dele. Tomar uma decisão forte e decidida para proclamar que Jesus Cristo é Rei e Senhor do mundo. É este Rei que seguimos, nos movemos e queremos empreender toda a nossa vida na certeza de um dia, definitivamente estarmos com Ele no céu. Contamos com a criatividade dos cristãos em geral para construir um ano diferenciado, fazendo com que o Documentos 105 da CNBB, seja de fato conhecido e amado, trazendo um novo alento para toda a sociedade. Partindo da luz que recebemos de Cristo no seio da Igreja, partamos todos, de modo particular, os cristãos leigos e leigos para a festa do ano do laicato.

Que seja um ano de redescobrir a beleza e o encanto de ser Igreja da Base que tem a ousadia de ser profeta nesse tempo tão necessitado de voz forte e corajosa para proclamar que os cristãos unidos e comprometidos transformam a sociedade.

Deixe-se encantar pela vocação cristã, alimentando as CEBs, os grupos de Reflexão, os grupos de Família para o enriquecimento, amadurecimento e fermentar toda a sociedade com a semente do Reino de Deus.

  • Dom Frei Severino Clasen, ofm
  • Bispo Diocesano de Caçador e Presidente da Comissão Episcopal de Pastoral para o Laicato
Nota: A abertura do Ano do Laicato será na festa de Cristo Rei, que este ano será celebrada dia 26 de novembro e segue até a mesma festa em 2018. Durante este período, a comissão espera realizar seminários regionais e temáticos, eventos, publicação de livros e de mensagens, na busca de disponibilizar diversas estruturas que possam envolver ao máximo os cristãos leigos e leigas.

Fonte: http://www.cebsdobrasil.com.br