Jesus, nosso Deus humano

Quinta, 02 Mai 2019

Tríduo Pascal

Mt 13,54-58

Em escuta do espírito

“A toda a hora bendirei o Senhor...”. Podes pensar nesta afirmação do salmista como um desejo mais do que uma realidade. Se amas o Senhor, se reconheces com gratidão tudo quanto Ele faz por ti, é natural que sintas o desejo de O louvar sempre. Mas não é menos natural que as ocupações do teu dia sejam o centro dos teus cuidados e te façam esquecer a presença de Deus e o seu louvor. Se for esse o caso, não te deixes abater. Pede ao Senhor que alimente o teu desejo de ficares na sua presença e com este pedido começa a tua oração: vinde, Santo Espírito!

Em escuta da Palavra

Naquele tempo, dirigindo-se para a sua terra, Jesus ensinava na sinagoga, de modo que ficavam admirados. E diziam: “De onde lhe vem essa sabedoria e esses milagres? Não é ele o filho do carpinteiro? Sua mãe não se chama Maria, e seus irmãos não são Tiago, José, Simão e Judas? E suas irmãs não moram conosco? Então, de onde lhe vem tudo isso?” E ficaram escandalizados por causa dele. Jesus, porém, disse: “Um profeta só não é estimado em sua própria pátria e em sua família!” E Jesus não fez ali muitos milagres, porque eles não tinham fé.

Comentário

É um tempo de alegria e de lembrar que a esperança nunca morre, pois Cristo é a esperança e ele venceu a morte. O Evangelho de hoje nos lembra da experiência que estamos fazendo nessa terra, uma experiência que Deus nos concedeu para aprendermos e praticarmos o amor, antes de viver com ele no amor eterno, ou seja, não somos daqui, é apenas nossa fase de aprender e praticar. Tudo dessa terra passa, então Cristo nos fala para não nos apegar as coisas dessa terra, mas praticar e falar do amor para assim depois vivermos com O Próprio Amor. Pois “o que é da terra, pertence a terra e fala das coisas da terra”, então se contenta com as coisas da terra, só fala de ganância, de egoísmo, e com essas coisas vive, e se esquece para quê foi criado. Pertencemos ao céu e do céu temos que falar, como Jesus temos que agir, é para isso que existe o Batismo para entrar na família de Cristo, e assumir o verdadeiro compromisso que ele nos deixou: “Ide e anunciai a Boa Nova”(Mc 16, 15), por isso lembras, que se é batizado tens que assumir o compromisso missionário, de não deixar ninguém sem saber que Ele é o Messias, que morreu por amor, mas no terceiro dia ressuscitou e vive no meio de nós.

Juventude Xaveriana do Pará

Vídeo e áudio