Comina estuda orientações para articular a dimensão missionária da Igreja

0
0
0
s2smodern
0
0
0
s2smodern
powered by social2s

Elaborar um guia com orientações básicas para a animação missionária da Igreja no Brasil foi o principal objetivo da 31ª Assembleia do Conselho Missionário Nacional (Comina).

Realizado neste final de semana, dias 04 a 06, na sede das Pontifícias Obras Missionárias (POM), em Brasília, o evento reuniu cerca de 50 pessoas, entre coordenadores dos Conselhos Missionários Regionais (Comires), bispos referenciais para a Ação Missionária nos regionais da CNBB e representantes de organismos e instituições missionárias no Brasil, membros do Comina.

“Foi um momento enriquecedor para a caminhada missionária do Brasil”, avalia dom Armando Gutiérrez, membro da Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Missionária e Cooperação Intereclesial da CNBB, e bispo de Bacabal (MA). Ele destaca a participação de onze bispos referencias para a missão nos regionais. Com relação aos pontos fortes na programação, dom Armando, aponta a reflexão sobre os seminaristas uma vez que o futuro da Igreja passa pela formação dos padres.

“Precisamos de presbíteros discípulos missionários”, recorda.

Outro momento significativo foi “a elaboração de um referencial para unir e orientar todas as forças missionárias. Além disso, a partilha das atividades e desafios, esperanças e conquistas nos regionais deixou os participantes mais animados pela importância que a missão tem na Igreja”.

Entre os desafios, dom Armando sublinha o valor dos Conselhos Missionários Diocesanos (Comidis) em todas as dioceses como organismos de união e articulação; a abertura das dioceses para a missão além-fronteiras e universal; e o investimento na formação e espiritualidade missionária.

Segundo a secretária executiva do Comina, Irmã Dirce Gomes da Silva, houve um avanço na construção do texto base sobre a animação missionária no Brasil. “Pelos trabalhos da Assembleia e as contribuições dos regionais e organismos percebe-se a importância de oferecer orientações mais claras para animar e articular a dimensão missionária da Igreja”.

Para a secretária, o crescimento dos Comidis em todo o país, revela uma maior consciência missionária, em especial na animação e articulação. “Isso foi demonstrado pelas avaliações sobre a Assembleia onde a grande maioria achou que foi ótima. É um sinal de que os Comires e os organismos estão comprometidos com a Missão”, observa. A religiosa falou ainda dos projetos além-fronteiras no Haiti, Timor Leste e Guine Bissau, que são contribuições concretas do Brasil com a missão universal.

Os trabalhos encerraram com uma breve celebração de envio conduzida por dom Sergio Braschi, presidente da Comissão para a Ação Missionária da CNBB e presidente do Comina.

“Ide com renovado entusiasmo a fim de testemunhar com alegria as maravilhas do Reino através do serviço missionário”, dizia uma parte do roteiro.

A 32ª Assembleia do Comina foi agendada para os dias 06 a 08 de março de 2015.