Experiência missionária como bispo na triple fronteira

  • Dom Adolfo Zon Pereira
  • Artigos
0
0
0
s2smodern
0
0
0
s2smodern
powered by social2s

 Já se passaram vários meses da minha presença na Diocese do Alto Solimões e, em maio, faz um ano que assumi o pastoreio da Diocese. Nesse tempo, muitas experiências preciosas e gratificantes foram acontecendo e enriquecendo a minha vida missionária.

Ao longo desse tempo, uma das experiências mais bonitas foram as 3 visitas nas 8 paróquias que formam a Diocese do Alto Solimões. Foram visitas que me ajudaram e me ajudam a contemplar e conhecer a realidade com seus grandes desafios. Uma experiência que faz crescer a capacidade contemplativa e a visão compassiva e misericordiosa do quotidiano da vida do nosso povo.

Uma experiência que me ajuda cada dia a olhar a realidade com sinceridade (LS 61) para ver que nem tudo está de acordo com o plano de Deus.

Nessas presenças nas comunidades, procurei praticar o triple serviço à palavra, à liturgia e à organização pastoral que um bispo é chamado a realizar. Além da primeira visita de cortesia e apresentação como novo bispo em cada paróquia, a minha presença durante vários dias, nas festas dos padroeiros, proporcionou-me a experiência maravilhosa de sentir a cercania do povo e poder partilhar a fé nas celebrações de cada dia e a confraternização na praça da matriz, saboreando os diferentes cardápios do lugar. Também visitei algumas paróquias para administrar o sacramento da crisma, confirmando jovens e adultos na fé.

A experiência mais marcante foi a preparação e a realização da Assembleia Diocesana de Pastoral, que aconteceu em Tabatinga, no mês de novembro, com a presença de todas as paróquias representadas pelos seus respectivos delegados. Foram três dias de reflexões, debates e decisões, que nos ajudaram a elaborar o plano diocesano de pastoral que vai guiar a nossa ação como Igreja durante os próximos quatro anos. Foi uma experiência muito fraterna e celebrativa, em que, juntos, pudemos rezar, partilhar as experiências. Conseguimos, inclusive, aprovar algumas propostas para a nossa caminhada como diocese e como paróquias. Propostas que estão em sintonia com a Igreja do Brasil e do nosso Regional da CNBB Norte 1.

Outra experiência muito marcante foi a Abertura da Porta Santa da Misericórdia e o Ano da Misericórdia com os índios Tikuna na Paróquia de São Francisco de Assis, em Belém do Solimões. A celebração foi precedida de uma procissão desde a comunidade de Nossa Senhora de Aparecida, em que celebramos os ritos iniciais e a escuta da palavra de Deus, com paradas em diferentes pontos da aldeia. Ao chegarmos à igreja matriz, abençoamos e abrimos a Porta Santa e juntos a atravessamos para sermos agraciados com a misericórdia e, como Jesus, o Rosto da Misericórdia, sermos praticantes da misericórdia.

Na semana de Páscoa, estivemos reunidos em Tabatinga: os agentes de pastoral, padres, religiosos e religiosas, para encaminhar as decisões tomadas na Assembleia Diocesana com a criação da Coordenação Diocesana de Pastoral, como órgão de planejamento e executivo da Assembleia, e a constituição de uma Comissão Bíblico-Catequética que estará a serviço das paróquias e comunidades para viabilizar as decisões tomadas sobre a Palavra de Deus e a Iniciação à Vida Cristã.

Nessa caminhada, sinto a presença de Jesus Bom Pastor, que me conduz e acompanha no cuidado desse povo a mim confiado, o qual me fortalece e me anima nos momentos de desânimo. Também nossa Senhora da Assunção nos indica qual é o caminho que devemos seguir rumo ao Reino definitivo!

Dom Adolfo Zon Pereira, SX  (Bispo da Diocese do Alto Solimões).