Natal é o nascimento do Salvador!

  • Rafael López Villasenor
  • Novidades
0
0
0
s2smodern
0
0
0
s2smodern
powered by social2s

A celebração do Natal é um dos períodos mais bonitos do ano para todos os Cristãos. É um tempo de perdão, solidariedade e de partilha. Porém, muitas vezes, o festejamos apenas como um evento social, com troca de presentes entre familiares, amigos e colegas de trabalho, com as árvores de Natal, luzes, Papai Noel e enfeites. Esquecemos que Natal é a festa do aniversário de nascimento de Jesus, que veio como Salvador de toda a humanidade.

No Evangelho de São Lucas, o relato do nascimento de Jesus faz parte das narrativas da infância. O texto é uma narração teológica da história da salvação (2,1-14). O menino que nasce é o Salvador, entretanto a salvação não se esgota com o nascimento de Jesus, mas se completa com a morte e ressurreição.

Ao descrever o nascimento de Jesus, o evangelho estabelece um certo paralelismo com a morte e ressurreição do Messias. De fato, no Natal “Maria enfaixou Jesus e o colocou na manjedoura” (Lc 2,7); na paixão “José de Arimateia enfaixou o corpo de Jesus e o colocou num sepulcro” (Lc 23,53). Os paralelismos são muitos entre o nascimento e a paixão. Portanto, existe a preocupação em descrever o nascimento de Jesus à luz do evento central da fé: o nascimento é o anúncio da morte e ressurreição do Salvador.

Para o evangelista Lucas a salvação não vem dos grandes que dominam e abusam do poder; mas vem de um menino pobre, filho de migrantes pobres e marginalizados. Por causa do censo de César Augusto, José e Maria peregrinam de Nazaré, na Galileia, para Belém, na Judeia, porque Belém era a cidade natal de José (Lc 2,3). Portanto, o Messias entra na história da humanidade por caminhos alternativos.  Jesus, o Messias pobre, nasce como o Salvador na cidade de Davi.

No nascimento de Jesus os fatos estão fora do comum. Maria dá à luz sozinha durante a viagem, fora de casa, sem encontrar lugar entre os parentes, na maior solidão. O menino pobre que nasce no abandono é o Salvador, o Messias, o Senhor. Os pastores, indesejados por terem rebanhos e não terem terra, são os primeiros a receberem o anúncio da boa nova, como grande alegria e vão ao encontro do Salvador. (Lc 2,11). Esse menino que nasce em Belém vem de Deus: o anjo do Senhor se encarrega de comunicar a grande novidade à humanidade por meio dos pastores.

O Salvador é pobre e se comunica com o povo pobre: “Vocês encontrarão um recém-nascido envolto em faixas e deitado na manjedoura” (Lc 2, 12). Portanto, Deus utiliza os empobrecidos e dos migrantes para realizar seu projeto. O Salvador entra na história da humanidade através dos pobres.

Que neste Natal possamos celebrar o nascimento do Menino Jesus, que veio ao mundo de maneira pobre e humilde na manjedoura de Belém, mas também quer nascer de novo no nosso coração. Que o Natal seja um tempo de paz, alegria, felicidade, perdão e concórdia por todos os dias de nossa vida. Os Missionários Xaverianos lhe desejam um Feliz Natal e um ano novo cheio de grandes realizações!

Rafael Lopez Villasenor