7º Encontro Nacional de Leigos do Brasil

0
0
0
s2smodern
0
0
0
s2smodern
powered by social2s

Conselho Nacional do Laicato do Brasil (CNLB) realizará de 20 a 24 de junho, na arquidiocese de Cuiabá (MT), o 7º Encontro Nacional do Laicato do Brasil. O encontro tem como tema: “Cristãos Leigos e Leigas na Igreja e na Sociedade: um novo olhar e um novo agir” e como inspiração bíblica: “Eu vi, ouvi e desci”, Ex. 3, 7-8.

LEIGOSSegundo Marilza Schuina, presidente do Conselho Nacional do Laicato do Brasil (CNLB), os encontros nacionais têm o objetivo de contribuir para a articulação do laicato do Brasil, estabelecer diretrizes gerais e definir as linhas de ação do organismo.  “A nossa expectativa é que de fato possamos incentivar, articular e organizar o laicato nos regionais do CNLB e nas dioceses”, disse.

O encontro reunirá aproximadamente 400 delegados e representantes dos 18 Regionais da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), como também das organizações filiadas. Estão confirmados, como assessores, o doutor em educação (USP), Luiz Augusto Passos e o teólogo e membro da Repam, Roberto Malvezzi (Gogó). O Encontro contará com a presença do bispo de Tocantinópolis (TO) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para o Laicato da CNBB, dom Giovane Pereira de Melo, do Bispo referencial do Regional Oeste II, dom Derek Jhon , entre outros.

Dentro da programação do 7º Encontro, acontece também, dia 21, a 38ª Assembleia Geral Ordinária (AGO) do CNLB, com caráter eletiva. A atual presidente é Marilza Schuina Lopes, pelo segundo mandato.

Para uma reflexão mais aprofundada no contexto da realidade atual do Brasil serão organizadas dez oficinas sub-temáticas para reflexões sobre: Direitos humanos, Casa comum/direito à terra, Igualdade de Gênero, Política/Políticas Públicas, Direito à cidade, Mundo do Trabalho, Juventude, Migrações e refugiados, Educação e cultura e Desafios da vocação laical na Igreja.

No contexto do 7º Encontro, o bispo de Tocantinópolis (TO), que assumiu recentemente como presidente da Comissão Episcopal Pastoral para o Laicato, dom Giovane Pereira de Melo, falou sobre o que é necessário para que a Igreja no Brasil avance mais na valorização de leigos e leigas.  Segundo ele, desde o decreto Apostolicam Actuositatem do Concilio Vaticano II, sobre a importância e atualidade do apostolado dos leigos, a Igreja vem valorizando os cristãos leigos e leigas no mundo e especialmente no Brasil.

Dom Geovane ressalta que há ainda um longo caminho a ser percorrido. “Sonhamos com uma Igreja que avance na compreensão de que em Cristo não há desigualdade na dignidade dos batizados”, disse. Segundo ele, a Igreja vem refletindo com frequência a identidade, vocação, missão, formação e organização do laicato, mas sente que precisa avançar mais ainda para que valorize mais a participação dos leigos e leigas.

“Que os cristãos leigos e leigas sejam tratados como verdadeiros sujeitos eclesiais atuantes no mundo e nos espaços eclesiais; que se invista na formação do laicato tanto para o intra eclesial como para serem sujeitos de transformação social e que reconheçamos, valorizemos e apoiemos  a organização dos cristãos leigos e leigas em conselhos diocesanos, regionais e nacional”, defendeu.

Para ele, o 7º Encontro Nacional do Laicato no Brasil será uma oportunidade rica para ouvir experiencias, opiniões e sugestões, fortalecer e ampliar o diálogo e o trabalho junto as diferentes formas de expressão do laicato. Dom Giovane observa que vários aspectos destacados nas Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil 2019-2023 serão aprofundados no encontro. “Os cristãos leigos e leigas através das suas organizações como pastorais, movimentos, serviços e o CNLB são acolhedores fiéis das diretrizes”, disse.

Histórico – O 1º Encontro Nacional de Leigos aconteceu em 1987 por ocasião da preparação do Sínodo dos Bispos realizado no mesmo ano, no Vaticano, para aprofundar a temática dos leigos e leigas na Igreja.

O CNLB é um organismo de articulação, organização e representação dos cristãos leigos e leigas, “que busca integrar os leigos e leigas dos movimentos, das pastorais, daqueles que vivem sua vida comunitária numa paróquia ou comunidade, e dos que vivem sua fé cristã inseridos nas atividades da sociedade”.

Fonte CNNBB