Carta do Superior Geral aos Missionários Xaverianos

0
0
0
s2smodern
0
0
0
s2smodern
powered by social2s
Em ocasião dos 150 anos de aniversário do nascimento do nosso Fundador São Guido Maria Conforti. - Queridos Confrades,

o dia 30 de março, comemoramos o 150° aniversário do nascimento, em Ravadese di Cortile S. Martino (PR), de São Guido Maria Conforti. A data nos estimula para refletirmos, para agradecermos ao Senhor, para renovar nossa Consagração, para pedir ao Espírito Santo que nos ajude na imitação deste modelo de Santidade do anunciou com alegria e coerência Jesus Cristo àqueles que ainda não o conhecem.

Esta data de aniversário acontece no Ano da Vida Consagrada: uma coincidência da Providência porque nos permite penetrar mais em profundidade na herança espiritual e carismática que o Fundador nos confiou.

O nascimento da Família dos Missionários Xaverianos

A vida de Guido M. Conforti é intrinsecamente unida à vida da nossa Família. O nascimento do Fundador corresponde ao nascimento dos Missionários Xaverianos. Este projeto divino agora está confiado à nossa contemplação: o acolhemos na fé, na esperança e na caridade.

A nossa Congregação nasceu e se desenvolveu a partir de uma semente de santidade, por isso as Constituições no n.1 declaram que “O testemunho e as palavras do Fundador são fonte particular de inspiração para a nossa vida apostólica”. Não estamos celebrando uma data cronológica, mas uma obra de salvação do Senhor, um Projeto de Deus que teve um início no tempo e deve continuar na história de hoje trazendo uma experiência de Salvação, um dom de Deus Pai e  este dom existe para ser distribuído a todos. Comemoramos o aniversário meditando pessoal e comunitariamente a obra do Senhor na história. Deus se serve da nossa disponibilidade e docilidade à Sua ‘multiforme sabedoria’ (Ef 3,10) para «fazer resplandecer aos olhos de todos como se realiza o mistério que estava presente escondido em Deus» (Ef  3,9). No Fundador percebemos que tanto a disponibilidade à vontade de Deus como a entrega ao Senhor são vividas de uma forma exemplar; a confiança de ele ser capaz com a graça de Deus de levar a termo o audacioso projeto; a tranquilidade do discípulo que no barco ameaçado pelas ondas do mar agitado escuta a voz do Senhor: «Porque vocês estão medrosos? Vocês não têm fé?» (Mc4,40); logo o discípulo se acalma e segue ao Senhor.

Aos Consagrados Papa Francisco escreve: “Será oportuno que cada família carismática recorde os seus inícios e o seu desenvolvimento histórico para agradecer a Deus que desse modo ofereceu à Igreja tantos dons que a tornaram bela e habilitada para toda a boa obra. Repassar a própria história é indispensável para manter viva a identidade e também robustecer a unidade da família e o sentido de pertença dos seus membros” (FRANCESCO, Carta Apostólica do Papa Francisco aos Consagrados, 1).  O aniversário do nascimento do Fundador ofereça de novo à nossa Família a audácia e a criatividade que marcaram o início da nossa existência.

O crescimento da Família dos Missionários Xaverianos

O Fundador foi um sábio administrador dos dons que o Senhor lhe deu (Lc 12,42). A consciência que a fé tem que ser cultivada com constância e ascese permitiu-lhe de superar as muitas e grandes provações da vida dele. Guido M. Conforti é senhor da sua vida, resolve as situações, controla tudo aquilo que de negativo tenta afetar a Vontade de Deus na vida dele. É senhor de si mesmo não porque viveu a vida dele ao próprio bel prazer e sim porque consegue viver de acordo com a direção que a Vontade de Deus quis. A formação do caráter dele na harmonia, o autodomínio nos sentimentos e nas emoções, a disciplina nos trabalhos e na organização do próprio tempo, a tenacidade no cumprimento dos próprios deveres, a constante formação espiritual e intelectual, a capacidade de governo: todos estes elementos nos revelam que a personalidade dele vivia na harmonia, que veio se formando gradativamente através de um intenso processo de auto conversão e sempre confiando no Senhor. Ninguém nasce santo: nós nos tornamos santos.

Guido M. Conforti não deixou nada ao acaso no próprio caminho de santidade porque estava convencido de que seguir a Jesus Cristo nos leva a morrer a nós mesmos. Assim deve ser também para a nossa Família Xaveriana: a fidelidade a Cristo, a Quem nos consagramos com os votos; a fidelidade à Missão de Cristo; a fidelidade ao Carisma que recebemos como dom do Espírito Santo, tudo isso é possível e pode ser realizado quando este caminho de santidade for vivido com seriedade, sem comodismo, sem esquecermos as exigências, mas acolhendo-as com consciência e determinação. Dom Guido M. Conforti foi capaz de levar a termo o próprio audacioso projeto começando de Borgo Leon d’Oro até Campo di Marte, e depois na China e nos outros Continentes.

A Família Xaveriana desenvolveu – se e tem contagiado gerações de jovens, leigos e Igrejas locais. Foram produzidos instrumentos para a Animação Missionária e iniciaram – se tantas Escolas Apostólicas. Foram fundadas Igrejas e depois de amadurecidas foram entregues às Dioceses. Os confrades se encarnaram nas situações de  pobrezas e de injustiças para evangelizá-las. A partir da nossa Família nasceram outras Famílias Consagradas para a Missão: as Missionárias de Maria e as Irmãs de São José de Cheng Chou. O laicato Xaveriano e os Grupos de Amigos dos Xaverianos inspiram-se diretamente ao nosso Fundador e são um dom para a nossa Família. Quando chegou o tempo certo o nosso Fundador foi proclamado modelo de santidade para toda a Igreja.

Que este aniversário seja um novo início, uma nova retomada, uma nova época no caminho de amadurecimento e desenvolvimento da nossa Congregação. A santidade do Fundador  testemunha que é possível e necessário que nós como Xaverianos façamos crescer mais e melhor a nossa vida de Família. Não queremos negligenciar esta oportunidade: seria uma responsabilidade pesada demais!

A Família dos Missionários Xaverianos hoje

Penso que não seja inútil afirmar, que o dia 30 de março de 1865, nasceu um incansável Animador Missionário. Se por causa da doença ele mesmo não pôde ser missionário como queria, ao mesmo tempo o nosso Fundador nunca perdeu o entusiasmo, a criatividade e a firmeza em animar a Igreja Local e Universal, para que fossem dedicadas às Missões. O nosso Fundador cultivou com carinho esta própria vocação e não perdeu oportunidade para divulgá-la e compartilhá-la haja vista o trabalho realizado pela União Missionária do Clero. Neste sentido gostaria de citar o discurso de Paulo VI para o 50° aniversário da Fundação da União Missionária do Clero, o 16 de setembro 1966. Nas palavras do Papa encontramos também o significado e o objetivo pelos quais estamos comemorando o aniversário do nascimento do nosso Fundador: Gostaríamos de assumir, pensando em vocês, as palavras de São Paulo: «Irmãos, não creio que já tenha alcançado o prêmio, mas uma coisa eu faço: esqueço-me do que fica para trás e avanço para o que está na frente continuo em direção da meta, em vista do prêmio do alto…» (Flp3, 13-14).

De fato aquele ‘esquecer’ o passado, na situação de vocês, não é propriamente correto porque vocês estão celebrando a data do aniversário, cinquenta anos da fundação da vossa União; e a comemoração nos leva a uma lembrança no passado com o desejo também de fazer uma homenagem na memória e na piedade às pessoas valiosas e bem aventuradas, ao zelo das quais, a vossa União, deve a própria fundação e o próprio primeiro desenvolvimento: queremos dizer o venerável Dom Guido Conforti e o Padre Paulo Manna. Com certeza este olhar para o passado tem o intuito de projetá-lo para o futuro; ou seja, de aproveitar a memória dos cinquenta anos vividos para recebermos inspiração, experiência, coragem a prosseguir, com a Providência de Deus, a caminhada até agora  percorrida”.

 Hoje à nossa Família é pedido ser Animadora Missionária para formar novos missionários e missionárias, para guiar comunidades cristãs a serem anunciadoras do Evangelho de Cristo, para fazer sentir à Igreja Universal que a Evangelização é a alma de todo nosso planejamento, atividade e desejo. Redescubramos o valor da Animação Vocacional: é urgente que revisemos os nossos projetos, a nossa disponibilidade, o nosso testemunho, o nosso estilo de vida em vista de formar jovens que vivam o carisma xaveriano como consagrados para toda a vida. É necessário que nunca percamos a coragem de entregar à Igreja Local comunidades já maduras enquanto nós podemos ir lá onde a necessidade é maior.

Estamos sendo solicitados a ir para as periferias humanas, sociais, existenciais e geográficas, livres de tudo, ricos somente do Evangelho de Cristo. Que esta data de aniversário nos ajude a nos dar coragem uns aos outros para vivermos estas metas; que nos ajude a renovar as nossas comunidades para que nelas possam se manifestar firmeza na Consagração e clareza no Carisma e para que elas se tornem lugares de atração para os jovens; que nos ajude a não ficarmos no comodismo: podemos ainda oferecer muito de nossa vida pela causa da missão; que nos ajude a não nos fecharmos num mundo solitário quase insensível.

Hoje a nossa Família tem necessidade de forças novas: não podemos deixar a resignação nos atingir. É ainda tempo de semear, e muito. Dom Conforti nunca ficou no pessimismo, sempre foi o homem das ‘retomadas’. A data do aniversário que estamos celebrando nos convida a viver este critério de vida, esta escolha.

Conclusão

Caríssimos confrades, celebremos o aniversário do nascimento do nosso Fundador agradecendo e com uma maior consciência de que ele é para nós um modelo a ser imitado hoje e não uma recordação das nossas origens. A oportunidade de vivermos em 2015, também o Ano da Vida Consagrada, torna esta comemoração ainda mais exigente para cada um de nós. A intercessão de São Guido M. Conforti nos abra o coração às grandes expectativas que a missão hoje apresenta a nós como Consagrados, a nós como Missionários, a nós como Xaverianos.

Não podemos não lembrar o empenho de São Paulo «Ai de mim se anão anunciar o Evangelho» (1Cor9,16), porque é para isso que fomos chamados. Estamos conscientes de que isso nos leva a considerar tudo aquilo que não é Cristo como perda e lixo  (Flp3,8),  vivendo fazendo-se tudo para todos (1Cor 9,22), correndo para alcançar a perfeição. (Flp3,12). Do nosso ponto de vista este plano apostólico chama, se doação aos irmãos, Inculturação, Adaptação, Diálogo intercultural e Diálogo inter-religioso, Catecumenato, Testemunho de vida, Justiça e Paz, Animação Missionária e Vocacional, Amor pela nossa Família.

Cada Circunscrição viverá este aniversário na oração, na meditação, mas também na avaliação da própria vida consagrada e apostólica à luz da vida do Fundador. Vivamos esta data de aniversário com coragem: não temamos aquilo que o Espírito nos sugere e não nos fechamos em nós mesmos. Com carinho saibamos olhar para a santidade do Fundador e não temamos reconhecer que o ‘verdadeiro missionário é o santo’ (RMX 26). Ajudem-nos na nossa caminhada quotidiana os nossos mártires e as três irmãs xaverianas mártires: o exemplo delas não seja jamais esquecido.

A Bem-aventurada Virgem Maria, fiel discípula do Senhor e a intercessão de São Guido M. Conforti protejam a nossa Família Missionária.

Seja amado e conhecido por todos, o nosso Senhor Jesus Cristo!

Roma, 15 março 2015 - Domingo do amor do Pai pelo mundo

Pe. Luigi Menegazzo, sx. - Superior Geral.