II ConVocação

0
0
0
s2smodern
0
0
0
s2smodern
powered by social2s

No sábado e domingo, 08 e 09 de outubro, na Paróquia São Guido Maria Conforti (Hortolândia-SP), o Noviciado Xaveriano promoveu o II ConVocação- encontro vocacional para jovens de 15 a 30 anos, e teve cerca de 25 participantes.

Os temas refletidos foram conduzidos por diversas pessoas convidadas, alargando assim a visão acerca da resposta vocacional que se expressa nas diversas possibilidades de viver o chamado de Jesus Cristo. Além da família xaveriana presente em peso (Pe. Augustin Mukamba, Pe. Felipe Garcia, Pe. João Bortoloci, Ir. Beth Espinhara, Pe. Alfiero Ceresoli, Patrícia Nunes, Leonardo Matheus), nos alegrou também a participação da Ir. Regina Célia (São José de Chambéry) juntamente com as noviças Magalie, Michelande, Myrlande, bem como o diácono Isael (Arquidiocese de Campinas) e o casal Renato e Edna, da Pastoral familiar.

O primeiro dia do encontro iniciou as 8:00hs com a chegada, entrega do material, o café, seguida do momento de oração e apresentação. A iluminação bíblica do dia foi o texto de Lucas 5, 5 “Mestre, em teu nome lançarei as redes”, trabalhado de forma mais específica nos temas “Deus nos chama pelo nome”, “Vocação: um olhar na bíblia e na história de vida”, e os testemunhos vocacionais.

Na primeira reflexão, conduzida pelo Pe. Augustin, foi recordado que cada pessoa carrega em seu nome uma história e esta está inserida numa sociedade, num contexto. Todos foram criados por Deus para uma finalidade, uma missão, e nenhum ser humano está no mundo por acaso. Perceber isso é participar com a vida no projeto do Criador. Eis o chamado. Os jovens confrontaram a própria vida a partir das imagens bíblicas da anunciação (Lc 1, 26-38) e da sarça ardente na vocação de Moisés (Ex 3,1-14), acompanhado da indagação: “Qual a minha missão neste mundo?”. A unicidade com que Deus cria cada um implica também na particularidade da missão que cada pessoa deve realizar. Assim sendo, toda vida humana é por si só uma vocação, a qual ninguém pode delegar a terceiros. Nessa perspectiva de abordagem, padre Augustin falou da sua história vocacional missionária, resgatando assim os elementos que foram sinais do chamado de Deus na sua caminhada.

Ir. Regina (São José de Chambéry) desenvolveu o segundo tema, iniciando com a partilha da frase “Assume corajosamente o que Deus quer de ti”, frase do fundador da sua família religiosa. Na análise desta, foi desafiando os participantes a identificar o comportamento e as características da pessoa diante de um compromisso que se apresenta: medo, ansiedade, insegurança, etc. Segundo a mesma, todos esses sentimentos são aspectos normais presente em toda pessoa, sendo natural encontra-los. Enfatizou no entanto, a importância de não permitir que estes paralisem as buscas, os sonhos. Olhando o texto de 1 Sm 3, 1-10, falou que cada pessoa necessita fazer a sua própria experiência de Deus e nesse encontro descobrir-se chamado e dar a sua resposta dentro de um determinado contexto. Partilhou nesse sentido aspectos da sua resposta na vida religiosa consagrada no Instituto das Irmãs de São José de Chambéry.

voca

Após estas duas reflexões, os jovens tiveram 30 minutos para fazer o Deserto, rezando tudo aquilo que escutaram, refletiram. As 12hs, reuniram-se para o almoço na Comunidade Nossa Senhora Auxiliadora.

O período da tarde foi marcado pelos testemunhos de pessoas que vivenciam as diversas vocações na Igreja e na sociedade e iniciou as 14hs com a partilha do diácono Isael, da arquidiocese de Campinas, que falou a respeito do seu ministério diaconal. Segundo ele, vocação pode ser comparado a um bolo. Todos podem olhar o bolo, escutar relatos sobre o sabor, porém, somente quem experimentou de fato saberá o seu verdadeiro sabor. Assim é a vocação.

Intercalando os testemunhos, Pe. Alfiero refletiu o terceiro tema “A Direção Espiritual no discernimento vocacional”, recordando que o crescimento na vida, na fé, na vocação, requer deixar-se ser ajudado. Sozinho não se faz nada e nem se vai longe. Comentou assim a figura de Eli no texto de Samuel, como aquele que orienta, que ajuda Samuel a responder o apelo de Deus.

Prosseguindo os testemunhos, partilhou também sobre a vocação matrimonial, o casal Renato e Edna, pertencentes à Pastoral familiar. Falaram da beleza do amor entre o homem e a mulher, a responsabilidade pela Igreja doméstica (família), bem como os desafios existentes na vida a dois. Na sequência, escutou-se a Patrícia Nunes sobre a vocação Leiga Missionária Xaveriana (em que consiste, dimensões do laicato xaveriano, o encontro, a caminhada) e se concluiu com o testemunho vocacional de Leonardo Matheus, seminarista xaveriano da Comunidade de Filosofia.

O encerramento do primeiro dia foi feito com socialização dos grupos, recolhendo 03 aspectos acerca do tema VOCAÇÃO, trabalhado no decorrer do encontro: uma mensagem bíblica; uma imagem; um gesto.

O domingo, 09, foi momento de se voltar mais especificamente para a apresentação das congregações, e assim a vocação religiosa e sacerdotal. Os Missionários Xaverianos se reuniram com os jovens, e as Irmãs de São José de Chambéry com as jovens. O objetivo foi falar da história, espiritualidade e o carisma do Instituto doado pelo Espírito para a missão na Igreja. Nas conversas, abriu-se espaço para questionamentos, esclarecimento de dúvidas, curiosidades, etc. Pe. Felipe Garcia conversou sobre as características do Missionário Xaveriano e Pe. João Bortoloci a respeito das Missões Xaverianas no mundo.

No período da tarde, Ir. Beth Espinhara (Xaveriana) trabalhou o último tema “A beleza da escuta”, a luz do evangelho de Lucas 5, 11 “Eles então, deixaram tudo e o seguiram”. Após sua reflexão, houve momento de oração pessoal orientada pelo Gilberto, assim como a avaliação do encontro pelos participantes. As 17hs fez-se a celebração de conclusão e envio dos participantes, rezando o texto de Jeremias “Como o barro nas mãos do oleiro, assim estão vocês em minhas mãos, ó casa de Israel ” (Jr 18, 6).

Nossa gratidão à todos que colaboraram na realização desse encontro, e aos jovens participantes, desejamos serenidade, alegria e criatividade na busca vocacional.

Que São Guido Maria Conforti interceda as bênçãos de Deus por todos nós! Até a próxima!!!