Papa Francisco renova apelo pela paz na Rep. Dem. Congo

  • Missionários Xaverianos
  • Novidades
0
0
0
s2smodern
0
0
0
s2smodern
powered by social2s

“A Igreja, de sua parte, não quer outra coisa a não ser contribuir para a paz e o bem comum da sociedade“, disse o Papa.

 

Cidade do Vaticano

Ao final da Audiência Geral, desta quarta-feira (23/01), o Papa Francisco fez mais um apelo em favor da paz na República Democrática do Congo (RDC).

No último domingo (21/01), pelo menos seis pessoas morreram e quarenta e nove ficaram feridas na repressão a protestos contra a permanência no poder do presidente Joseph Kabila.

Segundo a Missão das Nações Unidas no Congo (Monusco), todas as mortes ocorreram na capital, Kinshasa, e em todo o país houve feridos e detidos nas manifestações.

“Infelizmente, continuam chegando notícias preocupantes da República Democrática do Congo. Portanto, renovo o meu apelo para que todos se empenhem em evitar toda forma de violência. A Igreja, de sua parte, não quer outra coisa a não ser contribuir para a paz e o bem comum da sociedade”, afirmou o Papa no apelo.

Ainda sobre a RDC temos a notícia de que foram sequestrados, na última segunda-feira (22/01), o sacerdote Pe. Robert Masinda e cinco agentes pastorais da Diocese de Butembo-Beni, situada na província do Kivu do Norte.

O sacerdote trabalha na Paróquia de Bingo, a cerca de doze quilômetros da cidade de Beni. Os seis homens congoleses foram sequestrados na saída da fazenda onde trabalhavam e obrigados a deixar o automóvel em que estavam.

“Conheço muito bem Pe. Robert. É responsável por um centro agrícola diocesano autossustentável, que inclui também a Diocese de Noto”, disse à Agência Sir o missionário comboniano, em Butembo, Pe. Eliseo Tacchella.

Ainda no domingo, no Kivu do Norte, três civis foram mortos provavelmente por rebeldes ugandenses muçulmanos das Forças Democráticas Aliadas (Adf), milícia contra a qual o Exército congolês está combatendo há muito tempo.

Os ataques ocorreram, em Beni, onde há dez dias as Forças Armadas de Kinshasa combatem contra as Forças Democráticas Aliadas.

Solidariedade da CEI

A Conferência Episcopal Italiana (CEI) manifestou solidariedade à Igreja, ao povo e aos bispos congoleses.

Num comunicado, o Conselho Episcopal Permanente sublinha que o sequestro do Pe. Masinda e cinco agentes pastorais congoleses manifestam o mal-estar há muito tempo presente na República Democrática do Congo.

Trata-se do sexto sacerdote sequestrado desde 2012, junto a religiosas e leigos, num contexto em que a população civil do Kivu do Norte está submetida cotidianamente a todo tipo de opressão das várias milícias armadas.

Além disso, a situação política nacional é delicada, marcada por repressão contra os católicos que, em 31 de dezembro passado, protestaram e continuam protestando pacificamente contra aqueles que impedem a realização das eleições no país.

A CEI pede a Deus os seus dons de justiça, reconciliação e paz.

No último domingo, o Papa Francisco fez um apelo pela paz na República Democrática do Congo, durante o Angelus na Praça das Armas, em Lima, no Peru.


Fonte: Rádio Vaticano