São Francisco Xavier, padroeiro das missões

  • Geovani Saraiva
  • Artigos

Cofundador da Companhia de Jesus (Paris, 15 de agosto de 1534), foi pioneiro ou precursor da ação missionária, de ir aos confins do mundo. O Padroeiro das Missões marcou em profundidade uma época. No outubro missionário, agradecemos ao nosso bom Deus, voltando-nos para a figura inquestionável de São Francisco Xavier (1506-1552), Padroeiro das Missões.

Continue lendo

Amazônia, terra de missão

  • Francisco Javier Martinez
  • Artigos

A série “Amazônia: Terra de missão e comprometimento com o Reino de Deus e o bem-viver” continua com o testemunho missionário do padre Francisco Javier Martinez, espanhol da Pia Sociedade São Francisco Xavier para as Missões Estrangeiras, a congregação dos Xaverianos. O padre é vigário paroquial em uma paróquia da arquidiocese de Belém (PA). Sua relação com a Amazônia teve início há nove anos, quando veio ao Brasil para uma experiência ainda antes de fazer os votos perpétuos na congregação. Atualmente na capital paraense, padre Francisco tem marcas profundas do tempo que esteve no sul do estado.

Continue lendo

Muita festa no dia dos mortos no México

  • Rafael Lopez Villasenor
  • Artigos

Para a cultura mexicana os mortos não morreram totalmente, mas continuam vivos nas tradições populares. O dia dos mortos é uma festa colorida, celebrada com alegria irônica, com oferendas de comidas, flores, bebidas alcoólicas, incenso, velas! A festa é celebrada de maneira muito especial e única, nos dias 01 e 02 de novembro, conservando tradições regionais próprias das culturas tradicionais de cada lugar e família, que tem origem nas memórias indígenas. Nesta data se recordam e se homenageiam todos os entes queridos que passaram para "outra vida". É uma devoção que mistura o sagrado e o profano, o medo e a ironia. No dia dos mortos a morte é ridicularizada em charges, caveiras de açúcar com nomes, pão dos mortos (pão em forma de osso polvilhado com açúcar ), músicas, bebidas alcoólicas, entre muitas outras formas.

Continue lendo

Dom Oscar Romero, o primeiro Santo de Medellín

  • Mário Menin
  • Artigos

Este ano é marcado pelo aniversário de muitos eventos, que transformaram profundamente a história dos últimos cinquenta anos, como o maio francês, a primavera de Praga, o massacre dos estudantes na Cidade do México, o assassinato de Martin Luther King... esta lista tem também vários acontecimentos que marcaram a Igreja, como a Conferência do Episcopado Lati-americano de Medellin, que mudou o rosto da Igreja do continente.

Continue lendo

As eleições no Brasil e a religião

  • Maria Clara Lucchetti Bingemer
  • Artigos

Passou o primeiro turno das eleições, mas não a perplexidade. Esta, ao contrário, aumentou. Por quê? Primeiro, por causa da onda avassaladora que emergiu das urnas, transformando radicalmente a configuração política do Brasil em sua quase totalidade. Em seguida, pela percepção de um novo elemento que despontou como protagonista nos resultados dessas eleições: a religião.

Continue lendo

Viva Nossa Senhora Aparecida!

  • Maria Cecília Domezi
  • Artigos

O dia 12 de outubro celebramos a Solenidade da Padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida, cuja imagem foi encontrada pelos pescadores do Rio Paraíba do Sul, na região de Guaratinguetá, estado de São Paulo, por volta do ano de 1717. Os pescadores Domingos Martins Garcia, João Alves e Filipe Pedroso já pescavam há bastante tempo, sem que conseguissem tirar peixe algum das águas do rio. Foi quando João trouxe em sua rede a parte correspondente ao corpo da imagem e, depois, lançando a rede um pouco mais distante, trouxe nela a cabeça da Senhora. Dali por diante, a pescaria tornou-se copiosa.

Continue lendo

Romero, pastor e mártir da América Latina

  • Rafael Lopez Villasenor
  • Artigos

“Se me matarem ressuscitarei no meu povo”

A canonização de dom Oscar Arnulfo Romero acontece em Roma, no domingo, 14 de outubro de 2018, junto com a de Paulo VI. Com a canonização conjunta do arcebispo de San Salvador e o papa Giovanni Montini, Francisco quer ressaltar e unir na mesma cerimônia dois “símbolos” que foram firmes aos ventos renovadores do Concilio Vaticano II.

Continue lendo